Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Capacidade máxima 07/03/2021 | 15h34

Sobe para 49 o número de pessoas aguardando por um leito de UTI pelo SUS em Caxias


Sobe para 49 o número de pessoas aguardando por um leito de UTI pelo SUS em Caxias
Foto: Felipe Dalla Valle/ Palácio Piratini

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) divulgou na tarde deste domingo (07) um novo comunicado sobre a situação da pandemia de covid-19 em Caxias do Sul. De acordo com a SMS, eram 49 pessoas aguardando por um leito de UTI pelo SUS, com base em dados até as 13h30. No mesmo horário, 32 pacientes esperavam por leito de enfermaria.

No sábado (06), 41 pacientes esperavam por uma vaga de UTI pelo SUS, indicando um agravamento da situação, que vem desafiando a Central de Regulação de Leitos, na medida em que a rede hospitalar, privada e pública, vem trabalhando além da capacidade. A regulação de leitos trabalhava com cerca de 10 a 15 pacientes em lista para UTI no início da pandemia. A espera por leitos de UTI se refere a mais de um tipo de enfermidade, portanto, não apenas aos casos graves de covid-19.

“A regulação tenta organizar o fluxo e acesso aos leitos para garantir que todos os pacientes tenham suas necessidades atendidas com a maior brevidade possível. Com o aumento exponencial no número de casos de covid, a cada dia mais e mais pacientes entram nas telas de regulação. A situação é cada vez mais angustiante, pois os pronto atendimentos estão lotados, assim como os hospitais que servem de retaguarda. Não há leitos disponíveis e a busca por uma vaga torna-se uma tarefa árdua”, destaca a diretora do Departamento de Avaliação, Controle, Regulação e Auditoria (Dacra), Marguit Meneguzzi.

Desde o começo da pandemia, foram implantados pelo Município 60 novos leitos de UTI. Mesmo com os esforços em abrir novos leitos de UTI pelo SUS, o aumento expressivo de casos nas últimas semanas tem levado o sistema de saúde ao limite. A abertura de novos leitos esbarra não somente na falta de estrutura física, já que as instituições estão superlotadas, mas também na falta de profissionais para atuarem nessas funções.

“Quando há liberação de uma vaga é necessário estratificar e classificar os pacientes em lista e definir quem poderá utilizar este leito. Uma escolha que gera angústia, pois todos deveriam ter a mesma oportunidade. Mesmo com todos os critérios observados, as equipes de regulação sentem o peso dos pacientes que permanecem em lista”, desabafa a diretora.

A Secretaria Municipal da Saúde reforçou, ainda, que é primordial frear o contágio. "Cada pessoa pode fazer a sua parte adotando medidas simples: evitar aglomerações, respeitar o distanciamento social, fazer uso correto da máscara e realizar a higiene frequente das mãos".


Departamento de Jornalismo






Em breve
Nenhum jogo no momento.