Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Trabalho 12/07/2019 | 18h32

Presidente da Câmara promulgou 12 leis vetadas pelo prefeito no primeiro semestre


Presidente da Câmara promulgou 12 leis vetadas pelo prefeito no primeiro semestre
Foto: Divulgação/ Câmara de Vereadores

Os primeiros seis meses do ano na Câmara de Vereadores de Caxias do Sul foram repercutidos pelo presidente Flávio Cassina (PTB) em entrevista à Rádio Caxias na manhã desta sexta-feira (12). O parlamentar conduz os trabalhos do Legislativo pela segunda vez. A primeira foi em 2015. Hoje, a Câmara conta com 23 vereadores, distribuídos em 11 bancadas. Segundo Cassina, isso demonstra a pluralidade de pensamentos. Dessa forma, a direção é responsável por mediar os debates que chegam ao plenário. O presidente também ressalta a importância do trabalho dos servidores que assessoram os legisladores.

No entanto, o clima é considerado atípico na Câmara. Flávio Cassina observa que a Casa tornou-se recurso das pessoas que encontram as portas do Executivo fechadas. O petebista ressalta que o Legislativo precisa absorver essa situação, aumentando a responsabilidade do cargo. De acordo com ele, pela falta de informações obtidas pelo Executivo, o número de pedidos de informações foi expressivo no último semestre.

No primeiro semestre, foram 67 requerimentos e seis convocações de secretários e titulares de instituições que fazem parte da prefeitura. Os vetos do prefeito Daniel Guerra (Republicanos) também foram destaque. O presidente da Câmara promulgou 12 projetos, de um total de 14 vetos do chefe do Executivo. Nesse aspecto, segundo Cassina, a primeira impressão que fica é que há uma retaliação vinda do prefeito.

Durante o primeiro semestre, os vereadores deliberaram 38 projetos de lei em plenário, além de outros sete complementares e seis de decreto legislativo. Entre os temas apreciados pela Casa atualmente, está o texto de autoria dos vereadores Elói Frizzo (PSB), Rafael Bueno (PDT) e Paulo Périco (MDB), que busca reconhecer bancas de revistas e jornais como patrimônio cultural do Município de Caxias do Sul.

O documento é uma resposta dos vereadores ao interesse da prefeitura de derrubar as bancas, com a desculpa de revitalizar a Praça Dante Alighieri, cuja iniciativa não passou pelo crivo do Legislativo.

Devido à demora na apreciação do projeto no Executivo, enquanto o prazo dado para desocupação das bancas se aproxima do fim, Flávio Cassina recebeu a proposta de continuar a tramitação do projeto pela Câmara com a cópia do texto. Porém, ele descartou, em princípio, discutir o assunto em plenário já na próxima semana, como pretendiam os demais parlamentares.


Departamento de Jornalismo


CONFIRA O ÁUDIO








Em breve
Nenhum jogo no momento.