Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Polêmica 03/04/2014 | 07h08

Polícia Federal investiga crimes de estupro e de violência defendidos por caxiense na internet


Polícia Federal investiga crimes de estupro e de violência defendidos por caxiense na internet
Foto: Reprodução
Os vídeos com as declarações do caxiense, que se diz neonazista e defende a legalização do estupro e de outros crimes de violência na internet, - que estão gerando repúdio de usuários das redes sociais em todo o país - já fazem parte de um inquérito que está em andamento na Polícia Federal, iniciado nesta terça-feira (02).

Segundo o delegado Noercy Melo, a investigação vai agregar as inúmeras denúncias efetuadas por usuários de redes sociais, após a repercussão do episódio na internet. Conforme Noercy, entre as diversas evidências de incitação ao crime, está a injúria racial.

Em um dos vídeos divulgados na internet, Gustavo Guerra afirma que as campanhas efetuadas por movimentos sociais para combater o estupro são uma farsa. Para ele, as feministas não estariam preocupadas com o ato, pois, de acordo com o jovem, a defesa do aborto, efetuada por muitas delas, é pior do que um crime.

Guerra diz ainda que é a favor de abusar sexualmente de feministas e lésbicas, e as ofende de diversas formas. Ele afirma, com palavrões, que a culpa pelo estupro é da mulher, que usa roupas provocantes.

O jovem ainda ressalta que as pessoas contrárias às afirmações dele podem processá-lo se quiserem, e afirma que está ciente que está praticando apologia ao crime.

Guerra foi ouvido pela reportagem da Rádio Caxias ainda na terça-feira (01) e disse que não tem medo de ser responsabilizado criminalmente pelos atos praticados.

A denúncia das ações de Gustavo Guerra na internet partiu inicialmente da organização Rosa Marina Meyer, entidade que fiscaliza atitudes preconceituosas na internet.

A Lei do Crime Racial pune com pena de reclusão de dois a cinco anos e multa atitudes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou nacionalidade. Já o artigo 286 do Código Penal prevê a detenção de três a seis meses de pena para a prática de incitação ao crime.


VEJA TAMBÉM:

Vídeo de caxiense que defende legalização do estupro provoca repúdio de usuários nas redes sociais
Entidade feminista organiza protesto contra defesa do estupro
Comissão de Direitos Humanos quer punição a caxiense que incita crimes de violência na internet

Protesto em repúdio à legalização do estupro reúne dezenas de pessoas na Praça Dante
Inquérito sobre conduta de caxiense que incita prática de violência pela internet deve ser finalizado em um mês






Departamento de Jornalismo


CONFIRA O ÁUDIO








Em breve
Nenhum jogo no momento.