Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Economia 21/08/2019 | 11h07

Pesquisa aponta tendência de aumento para inflação e preço médio da cesta básica em Caxias


Pesquisa aponta tendência de aumento para inflação e preço médio da cesta básica em Caxias
Foto: Divulgação

A Cesta Básica ficou R$ 1,58 mais cara no mês de julho, passando a custar R$ 865,52, numa alta de 0,18% com relação ao mês anterior no Município. Os dados são do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais (Ipes) da Universidade de Caxias do Sul (UCS). Quase a metade dos produtos englobados na pesquisa apresentaram alta no valor ou mantiveram a precificação apresentada em junho. Apesar da maioria dos artigos ter registrado queda no custo, o forte encarecimento de itens de alimentação puxou a elevação da média.

O balanço do Ipes também abordou o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Caxias, que indica o movimento da inflação. A taxa teve uma elevação de 0,21% em julho. No período anterior, o registro já havia notificado um leve aumento. No somatório dos 12 últimos meses, a inflação acumulada é de 5,5%.

O comportamento dos dois índices alerta para a possibilidade de um crescimento consistente de inflação e de preços, mesmo que lento. Isto se dá pelo encarecimento de artigos industrializados, inclusive aqueles que são considerados de “primeira necessidade”.

O diretor do Instituto de Pesquisas reforça o alerta pelo aumento de custo dos produtos não alimentícios. Roberto Birch Gonçalves explica que, apesar das movimentações mais bruscas, os alimentos variam conforme o período. Este não é o caso de produtos de higiene, por exemplo. Mesmo assim, ele considera que o quadro não é assustador, porém preocupante. Ele acrescenta que com a observação dos indicativos, é perceptível a tendência de alta.

O diretor frisa que o resultado do IPC também causa apreensão, salientando o acumulado superior a 5% nos últimos 12 meses. Gonçalves defende que o aumento da inflação precisa ser compensado na renda dos consumidores, ou o poder de compra da população vai ser “minado”.

Conforme Roberto Birch Gonçalves, o Governo Federal deveria tomar atitudes em prol de reverter a situação. Caso a tendência não for quebrada, o panorama de aumento da inflação e queda no consumo tende a se manter. A sequência do quadro poderia afetar a confiança dos investidores no mercado interno e externo.


Departamento de Jornalismo


CONFIRA O ÁUDIO








Em breve
Nenhum jogo no momento.