Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Latrocínio 06/07/2019 | 06h43

Homem é morto a pedradas após ser assaltado no bairro Charqueadas


Homem é morto a pedradas após ser assaltado no bairro Charqueadas
Foto: Edgar Vaz/Rádio Caxias

Maicon Roberto Contenta da Silva, 29 anos, foi vítima de crime de latrocínio (roubo seguido de morte) na madrugada deste sábado (6), em Caxias do Sul. Ele foi morto a pedradas no bairro Charqueadas, após ser assaltado e perseguido por dois criminosos.

Por volta 02h15, a Brigada Militar foi acionada para atender a uma ocorrência onde um homem estava caído na Rua Cristiano Ramos de Oliveira, próximo ao nº 2590. Neste ponto está localizado o Bar do Jauri, mas o corpo estava na calçada oposta, junto às instalações da RGE.

Os criminosos abordaram Maicon e a mulher, que momentos antes estavam em um ginásio de esportes no bairro Esplanada, onde o rapaz foi jogar futebol. Eles retornavam para casa em um veículo Clio (placas IKR 4003), transitando pela Perimetral Bruno Segala, mas o carro teve um problema mecânico e foi deixado na frente da Igreja de São Francisco.

O casal, então, seguiu a pé em direção ao bairro Charqueadas, e quando estava contornando a RGE, houve o encontro com os dois assaltantes. A companheira de Maicon, Jéssica Albino da Rosa, 25 anos, que apresentava sinais de embriaguez, contou que mesmo após entregar o dinheiro, Maicon foi agredido. Ele teria ordenado que Jéssica corresse, temendo que os criminosos pudessem atentar contra a mulher, e em seguida passou a ser agredido a pedradas.

O rapaz recebeu o primeiro golpe, mas conseguiu fugir. Os dois criminosos, entretanto, mantiveram a perseguição e as agressões, desferindo outra pedrada na cabeça dele. Foi nesse momento que Maicon teria sido ferido mortalmente, caindo junto a um poste. Segundo Jéssica, os dois criminosos desferiram outras pedradas, com a vítima já inconsciente.

Os assassinos levaram R$ 500 da vítima. Segunda Jéssica, o dinheiro teria sido cedido pela mãe dela, e seria usado para o pagamento do aluguel. O caso será investigado pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas de Caxias do Sul (DRACO).

Com mais este caso, Caxias do Sul já soma 42 vítimas de crimes contra a vida em 2019. São 35 mortos em homicídios, dois em latrocínios e cinco óbitos em confrontos com a Brigada Militar.


Departamento de Jornalismo




GALERIA







Em breve
Nenhum jogo no momento.