Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Polêmica 08/04/2014 | 07h01

Especialistas apontam risco de transtorno psíquico em comportamento de caxiense que incita violência nas redes sociais


Especialistas apontam risco de transtorno psíquico em comportamento de caxiense que incita violência nas redes sociais
Foto: Reprodução
Especialistas na área psiquiátrica comentaram o comportamento de incitação à violência demonstrado pelos vídeos de Gustavo Guerra, divulgados na internet, e que têm sido alvo de manifestações de rejeição de usuários das redes sociais em todo o país.

Guerra, que tem 20 anos e se diz neonazista, incentiva atos de estupro, de pedofilia e de violência contra uma série de grupos étnicos e sociais, está provocando repúdio de usuários na internet por conta do comportamento agressivo e contrário aos direitos humanos.

Segundo relatos obtidos junto a conhecidos e amigos de Guerra, que preferiram não se identificar, o isolamento sempre foi uma das características marcantes dele, desde o início da vida escolar. Era sempre visto sozinho e não olhava nos olhos nas raras vezes em que dialogava com alguém. Porém, chamava a atenção a inteligência demonstrada durante as provas.

De acordo com avaliação do médico psiquiatra Montserrat Martins, esse tipo de comportamento evidencia o chamado transtorno de personalidade antissocial. Não é uma doença que abrange somente as condições biológicas, visto que não envolve incapacidade de compreensão motivada por debilidades físicas.

Segundo Montserrat, casos como esse são os mais difíceis de tratar porque o indivíduo não apresenta capacidade de autocrítica ou sentimento de culpa. Além de medicação e apoio psicológico, Montserrat salienta que em situações como essa, os limites morais impostos por meio da própria indignação da sociedade diante do assunto são fundamentais para barrar ações violentas.

Para o psicoterapeuta João Marcos Fruet, manifestações de ódio como as de Gustavo Guerra representam um eterno descontentamento consigo mesmo, que é exteriorizado por meio da violência. De acordo com o especialista, nesses casos é possível acontecer agressões físicas, por conta da intolerância às diferenças.

O psiquiatra Prates de Lima salienta que casos como esse denotam o chamado comportamento regressivo, que mostra uma baixa autoestima e tendência a hábitos antissociais. A violência demonstrada por Guerra nos meios virtuais indica, pelo menos, falta de estrutura emocional.

As manifestações de Gustavo Guerra estão sendo alvo de inquérito da Polícia Federal, e também foram encaminhadas ao Ministério Público. A Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Governo do Estado, Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul e a prefeitura se manifestaram oficialmente repudiando as afirmações do jovem.


VEJA TAMBÉM:
 
Vídeos que estimulam violência preocupam Secretaria da Justiça e Direitos Humanos do Estado
 
























Departamento de Jornalismo


CONFIRA O ÁUDIO








Em breve
Nenhum jogo no momento.