Rádio Caxias

Notícias



ESTADO

Combustíveis 23/06/2022 | 17h01

Dirigente de sindicato teme colapso no setor dos transportes se uma medida rápida e eficaz não for tomada pelos governos


CONFIRA O ÁUDIO


Dirigente de sindicato teme colapso no setor dos transportes se uma medida rápida e eficaz não for tomada pelos governos
Foto: Daer


POR FABIANO PROVIN | DEPARTAMENTO DE JORNALISMO

Sem reajuste por 99 dias, o preço da gasolina vendido pela Petrobras às distribuidoras aumentou para R$ 4,06 nas refinarias, acréscimo de 5,2%. O diesel, que estava há 32 dias sem elevação, passou para R$ 5,61 o litro, o que representa uma alta de 14,2%. Usado principalmente em ônibus e caminhões, o combustível aumentou quase 50% em um ano nas bombas.

A disparada do litro do diesel é considerada um pesadelo para a atividade de transporte de cargas, impactando também em produtos e serviços de maneira geral. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação no Brasil, fechou em 11,73% no acumulado de junho de 2021 a maio de 2022.

Segundo o presidente do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga e Logística do RS (Setcergs), Sérgio Gabardo, o setor vive momentos de dificuldade sem a possibilidade de repassar todos os custos, que têm efeito em cadeia. O dirigente entende que ainda é possível remediar a situação caso os governantes realmente queiram alterar as questões tributárias. Gabardo contextualiza que os repasses feitos nos combustíveis não chegou à renda dos trabalhadores formais das mais variadas categorias.

O setor também aguarda com expectativa a sanção, por parte do Governo Federal, do Projeto de Lei Complementar 18/2022, que limita a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo. A proposta foi aprovada pela Câmara dos Deputados na semana passada (dia 15). Na maior parte dos Estados o piso do ICMS é de 17% ou 18%. De acordo com o projeto, até 31 de dezembro deste ano haverá uma compensação paga pelo Governo Federal aos Estados pela perda de arrecadação do tributo por meio de descontos em parcelas de dívidas refinanciadas desses entes junto à União.







Em breve
Nenhum jogo no momento.