Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Postura 03/09/2019 | 17h02

CPERS afirma que processo de seleção de nova coordenadora de educação foi político


CPERS afirma que processo de seleção de nova coordenadora de educação foi político
Foto: Google Maps/ Divulgação

O 1° Núcleo do Cpers/Sindicato já adianta que deve cobrar da nova titular da 4ª Coordenadoria Regional de Educação (4ª CRE) posturas pró-melhorias na área junto ao Piratini. A representatividade dos professores da rede do Estado destaca como principais problemas a defasagem de docentes e de funcionários nas escolas gaúchas. Além disso, a entidade também se posiciona contra as contratações emergenciais. O Sindicato defende que o Governo do Rio Grande do Sul realize concursos para compor o quadro de professores.

Quem está para assumir a 4ª CRE é Viviani Devalle. A professora de Letras foi secretária de Educação do Município de Itá, em Santa Catarina. A gestão era de Leide Mara Bender, do PSDB, mesmo partido do governador, Eduardo Leite. Viviani, que é filiada ao MDB, foi escolhida para o posto, que também era disputado por três caxienses.

Em material divulgado em fevereiro deste ano pelo Governo do Estado, o texto ainda pontua que as análises culminariam na pré-seleção de um trio de candidatos. Destes, um seria efetivado para o comando da CRE.

O presidente do Cpers de Caxias, David Orsi Carnizella, relata que dentre os postulantes ao cargo estavam pessoas sem filiação partidária. Ante a escolha da nova titular, declara que o processo não foi técnico e que a indicação para a Coordenadoria de Caxias foi política, bem como em outras unidades do Estado. Ele ainda critica o suposto descumprimento do discurso do atual Governo com a prática da gestão. A administração Estadual prometeu uma nomeação baseada em parâmetros técnicos para as CREs.

Conforme o Cpers, a indicação das titulares para as coordenarias regionais de Educação (CREs) foi influenciada amplamente pelas afinidades políticas. Segundo a manifestação, a maioria dos nomeados para as CREs são pessoas filiadas ao próprio partido do governador, ou a legendas coligadas.

Em posicionamento anterior, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) pontuou que o processo seletivo contou com diversas etapas para a escolha dos novos coordenadores. Os participantes teriam passado por análise curricular, teste de perfil, entrevista para avaliação de competências e referências, pesquisa de crenças e agenda com especialistas. A última fase seria uma entrevista com o gestor da Seduc, Faisal Karam.


Departamento de Jornalismo


CONFIRA O ÁUDIO








Em breve
Nenhum jogo no momento.