Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Impasse 25/10/2021 | 14h07

Comunidade da 2ª Légua teme poluição e não quer receber Parque de Proteção Animal


Comunidade da 2ª Légua teme poluição e não quer receber Parque de Proteção Animal
Foto: Gustavo Pascoali

Grupo de moradores da 2ª Légua de Caxias do Sul manifesta forte contrariedade à instalação de Parque Municipal de Proteção Animal. A estrutura seria construída nas localidades de São Virgílio e Loreto. Conforme representantes da comunidade local, há preocupação com possíveis efeitos negativos ao meio ambiente e à produção agrícola da área.

De acordo com o relato, o terreno escolhido engloba córrego que desemboca no Arroio Belo, que integra a bacia do Rio Caí. Além disso, o espaço seria rico em vida silvestre. Portanto, os residentes sustentam que o Parque pode gerar poluição sonora e hídrica, bem como afastar os animais nativos da Região.

Este temor e a inconformidade com o projeto foram apresentados por comissão de moradores da área na Câmara de Vereadores. O Plenário chegou a debater a questão. O grupo também teria tentado levar a pauta à Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma). No entanto, na Semma os representantes da comunidade não teriam sido recebidos.

É o que conta o ex-vereador Raimundo Bampi, morador da 2ª Légua e uma das lideranças do movimento. Ele contesta a capacidade da Prefeitura para administração de estrutura a ser construída no interior caxiense. Recordando do furto do busto do Duque de Caxias, considera que a gestão não consegue cuidar nem da Praça Dante Alighieri, no Centro da cidade. O ex-parlamentar sugere que o projeto visa esconder os animais que atualmente são abrigados pelo Canil Municipal.

Bampi relata que os residentes da área estão revoltados, defendendo que qualquer problema sobre a questão deve recair sobre a responsabilidade do prefeito. Para ele, Adiló Didomenico (PSDB) resolveu por teimosia atormentar as comunidades de São Virgílio e Loreto.

Conforme os representantes da 2ª Légua na questão, tem faltado diálogo da administração no trato do projeto. Os moradores afirmam que concordam com investimento em estrutura adequada para recebimento de animais, mas defendem revisão do local a sediar a obra.

A indicação do movimento é de que a instalação seja sediada em espaço desabitado e cujos arredores sejam livres de qualquer produção. 


Departamento de Jornalismo


CONFIRA O ÁUDIO








Em breve
Nenhum jogo no momento.