Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Alimentação 18/09/2019 | 08h25

Cesta básica tem novo aumento e fica R$ 2 mais cara em agosto


Cesta básica tem novo aumento e fica R$ 2 mais cara em agosto
Foto: Divulgação

O valor da cesta básica caxiense teve nova alta no mês de agosto e agora está em R$ 567,95. É um crescimento de mais de R$ 2 em relação ao mês anterior, conforme apontado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais (Ipes) da Universidade de Caxias do Sul (UCS). A maior parte dos 47 produtos englobados no indicador tiveram crescimentos. Dentre estes se destacame o sabão em pó, leite condensado, feijão preto, creme dental e tomate como itens com o maior aumento de custo. Os resultados se somam a consecutivas altas da cesta.

Entretanto, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) registrou uma queda de -0,15% no último mês. Em julho, o IPC havia exposto uma elevação de 0,21% na inflação. No acumulado dos últimos 12 meses, a taxa registra um avanço de 4,82%, com uma leve queda também nesta amostragem. Entretanto, os produtos que teriam influenciado mais na redução das médias foram os ligados ao setor de transporte.

O diretor do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais, Roberto Birch Gonçalves, destaca a preocupação com a sequência do encarecimento de produtos de primeira necessidade. Ele acrescenta que o aumento de preço na cesta básica afeta, principalmente, a população mais carente, já que esta usa a maior parte da renda em gastos essenciais. Birch comenta que produtos alimentícios e de higiene pessoal são exemplos de áreas que vem mantendo elevações de custo, e lamenta a continuidade do movimento.

Apesar do aumento do preço da cesta básica, e mesmo com a leve baixa da inflação, puxada pelo setor de transportes, o quadro econômico de Caxias do Sul é considerado estável. O panorama poderia beneficiar o setor produtivo, segundo o Ipes. No entanto, qualquer resultado positivo no período estaria se dando por esforço da sociedade civil, sendo que ainda há cobrança por ações efetivas do Governo Federal.

Entretanto, o Instituto alerta para a fragilidade da redução da inflação exposta pelo Índice de Preços ao Consumidor, ante a crise envolvendo os incêndios em instalações petrolíferas na Arábia Saudita. O fato pode aumentar os valores dos combustíveis, diretamente responsáveis pela pequena queda de -0,15 no IPC.


Departamento de Jornalismo


CONFIRA O ÁUDIO








Em breve
Nenhum jogo no momento.