Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Alimentação 04/03/2021 | 16h51

Cesta básica caxiense volta a subir e se aproxima de R$ 1 mil


Cesta básica caxiense volta a subir e se aproxima de R$ 1 mil
Foto: Internet/Divulgação

O preço da cesta básica em Caxias do Sul no mês de janeiro subiu cerca de 1%, com um aumento de R$ 9,12. Com isso, o valor do conjunto de produtos chegou a R$ 998,62, se aproximando da casa dos R$ 1 mil.

A alta foi puxada por itens como frango inteiro, batata-inglesa, óleo de soja e leite condensado, aponta pesquisa divulgada pelo Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais (IPES), da Universidade de Caxias do Sul.

Com a pandemia, alguns produtos que têm relação direta com a avaliação cambial apresentaram aumentos expressivos e acima da média, a exemplo da carne bovina e da dupla queridinha dos brasileiros: o arroz e o feijão. Este quadro é reflexo da inflação provocada pela variação cambial, explica o professor Mosár Leandro Ness.

Esta situação já é vivida por Caxias do Sul há algum tempo, e deve perdurar por pelos menos mais três meses, conforme projeções. Este é o tempo necessário para que esse efeito inflacionário seja absorvido pelos preços domésticos.

Só então, na opinião do professor, é que o aumento de preços se daria de forma sazonal ou durante as entressafras. Mas, atualmente, Mosár ressalta que a disparada do câmbio é que vem marcando presença na cesta básica caxiense.

Além disso, o cenário mundial tem demonstrado que o preço das commodites, caso da soja, está se elevando fora do País, e isso também provoca aumento dos preços. O professor Mosár Leandro Ness explica que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), também medido pelo IPES, é formado por sete grandes grupos, entre eles: habitação, vestuário e alimentação, que abarca 320 itens, cujos preços são monitorados mensalmente pela pesquisa.

O que permite observar se os preços, de uma maneira geral, estão aumentando, ou não. Assim, mede-se a saúde da economia local que, segundo Mosár, está em boas condições, mas já deu sinais de alerta em janeiro, com uma alta expressiva dos preços de 0,73%. Um dos itens que mais influenciou nisso foi o aumento foi do combustível, tendo em vista que o custo do transporte é repassado no valor das mercadorias, tornando a vida mais cara em Caxias do Sul.

Mosár explica que o aumento na cotação do dólar acaba incidindo sobre a maioria dos insumos, puxando os preços para cima. Mesmo assim, o professor considera que a situação inflacionária em Caxias do Sul está dentro do esperado.


 


Departamento de Jornalismo


CONFIRA O ÁUDIO








Em breve
Nenhum jogo no momento.