Rádio Caxias

Notícias



AGENDA

06/05/2021 | 00h01

Caxias do Sulestá na rota da circulação virtual do Projeto Ecopoética


Caxias do Sulestá na rota da circulação virtual do Projeto Ecopoética

Contemplado pela Lei Aldir Blanc, da Secretaria de Estado da Cultura, o Ecopoética entrará em circulação novamente. No entanto, o projeto que originalmente previa a circulação por sete cidades gaúchas (Gravataí, Canela, Gramado, Passo Fundo, Veranópolis, Carlos Barbosa e Caxias do Sul) foi adaptado para uma versão online, em função do agravamento da pandemia no Estado.

O projeto está estruturado em dois pilares: a performance artística Ecopoética – Ritual de Sobrevivência Urbana, de Marina Mendo e Rossendo Rodrigues; e um trabalho de intercâmbio cultural com grupos artísticos das sete cidades gaúchas. Esse intercâmbio contou com duas oficinas ministradas por Marina, Rossendo e Rodrigo Shalako. E, como resultado, os grupos participantes produzem suas próprias performances em formato de vídeo-arte.

 

CIRCUITO VIRTUAL DE VÍDEO-ARTE | GRUPO DE CAXIAS DO SUL INTEGRA A MOSTRA

O circuito virtual de vídeo-arte, com as criações dos sete grupos artísticos que participaram das oficinas de intercâmbio, inicia no dia 27/4. Os trabalhos poderão ser conferidos nas redes sociais do projeto Ecopoética (@ecopoetica). (Confira a programação no serviço abaixo*)

Entre eles, está o Coro Juvenil do Moinho – UCS, de Caxias do Sul, que terá sua exibição no dia 8/5.

CoJmonautas Ecopoéticosé o título do vídeo-arte inspirado na importância de pensar a reciclagem de resíduos, e pelo reaproveitamento do lixo e de tudo aquilo que é descartável. O grupo reciclou arranjo da música Tuinha. A montagem audiovisual ganha uma roupagem sonora que mistura a estética das vozes dos cantores e cantoras do grupo e da harmonia do piano, com os ruídos do maquinário e ação dos recicladores da Associação Belo Horizonte, de Caxias do Sul, fazendo também um contraponto com a edição de imagens do lixo da cidade e de suas belezas urbanas e naturais. “Reciclamos o descartável e transmutamos o que era lixo e ruído em poesia, visando ampliar consciências e percepções sobre o meio ambiente, sabendo sermos nós, fazedores do tipo de mundo em que vivemos ou queremos viver”, detalha o grupo. 

O Coro Juvenil do Moinho/UCSé um grupo independente, que oferece atividades gratuitas a cantores que tenham entre 13 e 29 anos, com ou sem experiência vocal, envolvendo ensaios regulares e oficinas de prática coral e de consciência de si sob uma abordagem interdisciplinar, visando potencializar sua ação como artistadores da vida. Concebeu, sob direção e regência de Cristiane Ferronato e artistas convidados, os espetáculos Tanto Mar (2016), Contrapontos (2017) e Moinho Nômade (2019). 

Além deles, o circuito virtual de vídeo-arte conta com a participação dos seguintes grupos: Ritornelo de Teatro, de Passo Fundo; Cia Teatral Tem Gente no Palco, de Veranópolis; Grupo de Teatro CooperAção, de Carlos Barbosa;Grupo Teatral Nós Mimo, de Gramado; Ponto de Cultura Kombinação- Instituto Seide, de Canela e GET - Grupo de Estudos Teatrais, de Gravataí. 

 

VÍDEO-PERFORMANCE ECOPOÉTICA – RITUAL DE SOBREVIVÊNCIA URBANA 

Ecopoética – Ritual de Sobrevivência Urbana é uma performance artística de Marina Mendo e Rossendo Rodrigues.O trabalho foi adaptado para o formato de vídeo e estreia no dia 15/5às 19hnas redes sociais dos grupos que participaram dos intercâmbios e nas redes sociais do projeto (@ecopoetica). 

Apresenta a metáfora dos pequenos rituais cotidianos que permitem levar a vida adiante. O habitar humano em seu pequeno espaço em meio ao lixo, e a busca pelo alimento físico e espiritual em meio à degradação das águas. Sob um barco feito de lixo flutuante, a intervenção costumava ocorrer sobre lagos de parques públicospara espectadores em trânsito no ambiente urbano. 

A performance estreou em 2014 e é voltada à busca por poéticas de sustentabilidade no ambiente urbano.Trabalhando sobre instalações artísticas construídas com lixo, a dupla apresenta uma abordagem voltada ao pensamento ecológico e ao resgate e valorização dos espaços da cidade que estejam relegados à poluição e ao esquecimento. Em sete anos, o Ecopoética já realizou intervenções sobre os rios Tietê/SP,Ipojuca/PE e Capibaribe/PE – que integram o ranking dos 10 rios mais poluídos do Brasil segundo o IBGE. Também já passou pelos rios Gravataí, Sinos e Caí, no Rio Grande do Sul – além do Arroio Dilúvio, em Porto Alegre.

 

SERVIÇO:

MOSTRA VIRTUAL VÍDEO-ARTE | SETE GRUPOS ARTÍSTICOS:

>> Data: 27 de abril 

Grupo: Cia Teatral Tem Gente No Palco

Cidade: Veranópolis

Exibição:

Insta do Ecopoética: @ecopoetica

>> Data: 29 de abril

Grupo: GET – Grupo de Estudos Teatrais de Gravataí 

Cidade: Gravataí

Exibição: 

Insta do Ecopoética: @ecopoetica

>> Data: 1 de maio

Grupo de Teatro CooperAção 

Cidade: Carlos Barbosa

Exibição:

Insta: @ecopoetica

>> Data: 4 de maio

Grupo: Ponto de Cultura Kombinação (Instituto Seide) 

Cidade: Canela

Exibição:

Insta do Ecopoética: @ecopoetica

>> Data: 6 de maio

Grupo: Nós Mimo

Cidade: Gramado

Exibição:

Insta do Ecopoética: @ecopoetica

>> Data: 8 de maio

Grupo: Coro Juvenil do Moinho – UCS

Cidade: Caxias do Sul

Exibição:

Insta do Ecopoética: @ecopoetica

>> Data: 11 de maio

Grupo: Grupo Ritornelo de Teatro

Cidade: Passo Fundo 

Exibição:

Insta do Ecopoética: @ecopoetica

 

CIRCUITO VIRTUAL : VÍDEO PERFORMANCE  

 RITUAL DE SOBREVIVÊNCIA URBANA 

PROJETO ECOPOÉTICA | MARINA MENDO E ROSSENDO RODRIGUES

Data de estreia: 15 de maio

Exibição: 

Insta do Ecopoética: @ecopoetica

Passo Fundo:

Face: @ritornelo

Insta: @gruporitornelo

Caxias do Sul: 

Insta:@corojuvenildomoinhoucs

Face:@corojuvenildomoinhoucs

Gramado: 

Face: @GrupoNosMimo

Insta: @gruponosmimo

Canela: 

Insta - @cultura.kombi

Gravataí:

Insta @get_ogrupoteatral 

Face @get.ogrupoteatral 

Veranópolis:

Insta @temgentenopalco 

Face @ciatemgentenopalco 

 

SOBRE O ECOPOÉTICA

Ecopoética - Arte e Sustentabilidade em Intervenções Urbanas é uma plataforma de trabalho artístico interdisciplinar concebida pelos artistas e educadores Marina Mendo e Rossendo Rodrigues. Tem como objetivo a criação e difusão de performances e intervenções urbanas voltadas ao desenvolvimento sustentável das relações com o ambiente urbano. Os trabalhos tem como enfoque a cultura de consumo e descarte de resíduos e a poluição das águas na cidades.O projeto recebeu o Prêmio Boas Ideias de Sustentabilidade da Virada Sustentável Poa em parceria com a Fundação Gaia. 

https://www.youtube.com/watch?v=dWi-Tc-nPlY&feature=emb_logo

Marina Mendoé performer, educadora e produtora cultural. Mestre em Artes Cênicas pela UFRGS e especialista em Interculturalidade pela Universitá degli Studi di Padova. Desenvolve projetos na área de Artes Cênicas, explorando a voz, a sonoridade e o lugar de fala da mulher no discurso artístico. Seus trabalhos mais recentes: Fábrica de Calcinha - Prêmio Ieacen Teatro 2017, performance convidada para temporadas no SESC Pompéia e Sesc Belenzinho, Ecopoética - ILHA, Ecopoética Dilúvio - MA convidado para a programação do 20 Palco Giratório SESC 2017. 

Rossendo Rodriguesé performer, educador. Mestre em Artes Cênicas pela UFRGS e graduando em Psicologia. Desenvolve projetos na área de Artes Cênicas, Cinema e Vídeo explorando o corpo, as artes marciais e não-violentas no discurso artístico. Seus trabalhos mais recentes: Estação Paraíso, Em Busca de Sentido, O Feio, Ecopoética Dilúvio - MA convidado para a programação do 20 Palco Giratório SESC 2017. 

 

FICHA TÉCNICA DO PROJETO ECOPOÉTICA – RITUAL DE SOBREVIVÊNCIA URBANA: 

Coordenação de produção: Marina Mendo 

Criação e performance: Marina Mendo e Rossendo Rodrigues 

Cenografia:Rodrigo Shalako

Coordenação técnica: Rodrigo Shalako

Assistência de produção: André Varela

Oficineiros: Rodrigo Shalako, Rossendo Rodrigues e Marina Mendo 

Direção de vídeo-performance Ritual de Sobrevivência Urbana: Liége Ferreira

Operação de Câmeras: Thiago Lazeri e Natália Utz

Vídeomaker Oficinas: Natália Utz - UTZ Filmes

Edição de vídeo-documentário do Projeto Ritual de Sobrevivência Urbana no RS: Natália Utz-UTZ Filmes

Fotógrafa: Débora Lorenz 

Criação de trilha sonora para documentário: Ricardo Pavão e Gustavo Pavão 

Designer: André Varela

Assessoria de Imprensa: Raphaela Donaduce Flores- Dona Flor Comunicação

Assessoria de Mídia e Redes Sociais: Amanda Gatti 

 

Coletivos artísticos que participam de intercâmbios: Grupo Ritornelo de Teatro de Passo Fundo; Cia Teatral Tem Gente no Palco de Veranópolis; Grupo de Teatro CooperAção de Carlos Barbosa; Grupo Teatral Nós Mimo de Gramado; Ponto de Cultura Kombinação - Instituto Seide de Canela;  Coro Juvenil do Moinho - UCS de Caxias do Sul; GET - Grupo de Estudos Teatrais de Gravataí 

 

SINOPSES DOS 7 VÍDEO-ARTES E BIOS DOS GRUPOS QUE PARTICIPARAM DOS INTERCÂMBIOS

 

Cia Teatral Tem Gente No Palco – Veranópolis 

Data:  27 de abril 

Título: Descarte humano: do concreto ao invisível

 

Sinopse:O lixo que sufoca o nosso planeta aumenta na mesma proporção que a valorização do trabalho de coleta e separação seletiva é apagada. O que você faz com o seu lixo?! Onde você acredita ser o fora?! Qual é o seu descarte?! Um olhar atento e performativo sobre corpos-escritura, invisibilizados frente ao caos e a degradação humana. Histórias recontadas que se entrelaçam neste epílogo-denúncia, de um documentário expressionista, sobre vivências e resistências.

 

Bio:Companhia Teatral independente e atuante, em sua formação atual, há oito anos na área cultural de Veranópolis e interior do estado do RS. Desenvolve Oficinas Teatrais, gratuitas à comunidade, com Grupos Infantil, Juvenil e Adulto, além de projetos sociais e pesquisa cênica em transversalidade com outras áreas artísticas. Entre suas montagens de espetáculos teatrais destacam-se: Mademoiselle, Um Certo Cavaleiro Errante & Sua Linda Flor, La Prima Canzone e Peter Pan - A Magia Continua, todos autorais. Seus trabalhos recentes são o projeto artístico-cultural CONSONÂNCIA DO ENCONTRO: O Canto & o Teatro em Suas Transversalidades e CORPOGRAFIA NA CENA: Processo de Estudo, Criação e Ocupação Artística, em fase de criação.

Redes: 

Canal no YouTube Cia Tem Gente no Palco - OFICIAL

https://www.youtube.com/channel/UCPTviJHyCsPmpmTEaqiOjJQ

Insta @temgentenopalco 

Face @ciatemgentenopalco Fotos: arquivo do grupo 

GET – Grupo de Estudos Teatrais de Gravataí 

Data:  29 de abril 

Título:DescArte Cultural: Um Manifesto Poético

Sinopse:Quando o que era vida, cultura, arte se transforma em DescArte! Ao apagar as luzes, com elas, a porta que se fecha.O desmantelar das nossas estruturas e equipamentos culturais tem se mostrado um projeto para sucatear e descartar nossas trajetórias artísticas. Nos tiram nosso espaço, não nos querem por perto. Mas, existimos e (re)existimos com nossos corpos, vozes e narrativas. Um Manifesto Poético que grita o sussurro do simbólico.

Bio:Coletivo de artistas, diverso e plural, do município de Gravataí/RS, que desde 2018 desenvolve pesquisa e estudo nas artes da cena, com base experimental, em busca de conhecimento, vivências e experimentações cênicas e performativas. O GET iniciou sua trajetória com a montagem do espetáculo teatral Teima Filho, Teima que Dá, com o qual participou no ano de 2019 de Festivais de Teatro no estado do RS, tendo sido premiado em diversos deles. O Coletivo tem, ainda, em sua trajetória o Espetáculo Pocket Um Certo Cavaleiro Errante e Sua Linda Flor e trabalhos com performance artística. No momento, desenvolve um Projeto de Instalação Cênico-Visual sobre o Feminino, intitulado Corpas Femininas Na Ruptura do Caos.

Redes: 

Canal no YouTube GET GRUPO DE ESTUDOS TEATRAIS

https://www.youtube.com/channel/UCTpl-0V3Aozxaqt-0z_iLrg

Insta @get_ogrupoteatral 

Face @get.ogrupoteatral 

 

Grupo de Teatro CooperAção– Carlos Barbosa

Data:  1 de maio

Título: Neurônio D’Água 

Sinopse: Oceanos, mares, rios, lagoas, a torneira de nossas casas, o corpo humano, células. Cidades interligadas através de vertentes e esgotos. No planeta terra a falta de Neurônios espelhos potencializa a crise em nossas águas. É possível ainda reverter esta situação?

Bio: O grupo é  formado por  trabalhadores da Cooperativa Santa Clara e coordenado pelo diretor Marcelo Bulgarelli, que desde 2016 mantém encontros semanais para a prática de atividades de formação teatral. Com o desejo de se conhecer e se expressar, os colegas de trabalho viraram colegas de cena e passaram a criar espetáculos como  “A sala”, com foco no trabalho do ator, improvisação e jogos teatrais. Em 2018, FASES/FACES, espetáculo que, através da linguagem do teatro de máscaras, apresenta histórias, situações e imagens que retratam as diversas fases que atravessam nossas vidas - do nascimento à morte.

Redes: 

https://www.coopsantaclara.com.br/

Ponto de Cultura Kombinação (Instituto Seide) – Canela 

Data:  4 de maio 

Título:Insustentabilidades do Ser

Sinopse:Perfomance teatral, circense e performática, criada sob uma ótica áudio visual. Tem como principal objetivo questionar conceitos internos e perspectivas relacionadas a essência do ser humano diante da sustentabilidade. A mídia atual, caminha para deixar nossos pensamentos e emoções insustentáveis, regem nossas vidas, nos dizem o que comer, o que usar, para onde ir. Quando desligamos as telas e olhamos para o mundo real, percebemos um mundo entulhado de “rejeitos”. Esse mundo é um reflexo de nós mesmos, da nossa relação com a natureza e com o meio ambiente.

Bio:  O Ponto de Cultura Kombinação é uma entidade de natureza artística e cultural sem fins lucrativos. Desenvolvemos atividades ligadas à arte educação, utilizando como instrumento, oficinas artísticas de forma continuada. Como uma incubadora de projetos, desenvolvemos ações de mobilização, mediação, formação e articulação, fazendo integração dos artistas da comunidades e tornando possível a realização de novas ideias ligadas à cultura e à educação.

Redes: 

Insta - @cultura.kombi

Fotos: Sérgio Azevedo

Nós Mimo – Gramado 

Data:  06 de maio 

Título:Cinógeda 

Sinopse: O tempo tece as mortes causadas pelo descuido do homem com a natureza. Sem saber que, ao matá-la, este também está matando a si. O homem é, ou deveria ser, a própria natureza. Sustentar-se, sustentá-la, prover sustentabilidade. 

Cinógeda: Pessoa que ordena ou é responsável pelo extermínio de muitas vidas em pouco tempo. Quem deliberadamente ordenou a aniquilação de um grande número de pessoas, de todo um grupo étnico ou religioso, de um povo, uma cultura ou uma civilização.  

Nesta performance, que é um ensaio sobre a ausência, o grupo traz à tona o questionamento sobre o impacto que somos e geramos através de nossas próprias ações descuidadas e orquestradas pelo líder que mal exemplifica, que evidencia o quanto não sabermos [ainda] como viver em comunhão com a biodiversidade cultural. Quantas perdas teremos até que o sentido seja sentido?

Bio:Grupo coletivo, criando em 2010 e com sede em Gramado, o Nós Mimo - Núcleo de Pesquisa para Linguagem Corporal Cavalo Marinho, tendo como característica a linguagem do teatro de rua e o estudo das técnicas de linguagem corporal, mimo corporal dramática, pantomima e palhaço. Com a intenção de reinventar constantemente no público a necessidade permanente da utopia, a ideologia do grupo está em levar o seu trabalho até os locais de difícil acesso e que são privados constantemente de arte e cultura. Desde seu primeiro ano e através de diversos projetos, o grupo leva suas apresentações para os bairros descentralizados da cidade, com o intuito de levar arte para aqueles que são carentes por ela.

Redes: 

Face: @GrupoNosMimo

Insta: @gruponosmimo

Site: www.teatronosmimo.com

Canal do youtube: https://www.youtube.com/channel/UC0qHr3LzQzYrd6G6CLrpQ-Q

Coro Juvenil do Moinho –UCS- Caxias do Sul 

Data:  8 de maio 

Título:CoJmonautas Ecopoéticos

Sinopse: Inspirados pela importância e pela necessidade de pensar e repensar a reciclagem de resíduos, e pelo reaproveitamento do lixo e de tudo aquilo que é descartável, reciclamos também o arranjo da música Tuinha. Nesta produção do Coro Juvenil do Moinho/UCS, a montagem audiovisual ganha uma roupagem sonora que mistura a estética das vozes dos cantores e cantoras do grupo e da harmonia do piano, com os ruídos do maquinário e ação dos recicladores da Associação Belo Horizonte, de Caxias do Sul, fazendo também um contraponto com a edição de imagens do lixo da cidade e de suas belezas urbanas e naturais. Reciclamos o descartável e transmutamos o que era lixo e ruído em poesia, visando ampliar consciências e percepções sobre o meio ambiente, sabendo sermos nós, fazedores do tipo de mundo em que vivemos ou queremos viver. 

Bio:  Coro Juvenil do Moinho/UCS é um grupo independente, que oferece atividades gratuitas a cantores que tenham entre 13 e 29 anos, com ou sem experiência vocal, envolvendo ensaios regulares e oficinas de prática coral e de consciência de si sob uma abordagem interdisciplinar, visando potencializar sua ação como artistadores da vida. Concebeu, sob direção e regência de Cristiane Ferronato e artistas convidados, os espetáculos Tanto Mar (2016), Contrapontos (2017) e Moinho Nômade (2019). 

Redes:  

Insta: https://www.instagram.com/corojuvenildomoinhoucs 

Face: https://www.facebook.com/CoroJuvenildoMoinho 

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCwtivWHYc28R8UY5mJZkKTQ 

Fotos: Maurício Concatto

Grupo Ritornelo de Teatro – Passo Fundo 

Data:  11 de maio 

Título:A sede de Tagarela

Sinopse:A vídeo-performance mostra a palhaça Tagarela conhecendo a cidade de Passo Fundo, cidade que tem origem no Rio de mesmo nome. Aos poucos ela vai descobrindo que a cidade tem muita ligação com a água mas nenhum cuidado com ela.

Bio: O coletivo de artistas que compõem o Grupo Ritornelo de Teatro, da continuidade, a partir de 2010, a um trabalho iniciado em 1998 com o extinto Grupo Viramundos, possibilitando o segmento de uma exitosa trajetória de montagens teatrais, investigação de linguagens e produções artísticas. 









Em breve
Nenhum jogo no momento.