Rádio Caxias

Notícias



CAXIAS DO SUL

Política 03/09/2019 | 11h02

Câmara rejeita abertura de processo de impeachment contra o prefeito Daniel Guerra


Câmara rejeita abertura de processo de impeachment contra o prefeito Daniel Guerra
Foto: Mateus Argenta / Divulgação

A Câmara de Vereadores de Caxias do Sul negou na manhã desta terça-feira (03) a admissibilidade de um pedido de impeachment contra o prefeito Daniel Guerra. A decisão foi tomada por 14 votos a oito.

O pedido foi protocolado na última quinta-feira (29) por Jefferson Côrtes, ex-subprefeito de Vila Oliva. Ele denunciou Guerra por improbidade administrativa e crime de responsabilidade.

Votaram contra a abertura da investigação na Câmara os vereadores Renato Nunes (PL), Rodrigo Beltrão (PT), Denise Pessôa (PT), Elisandro Fiúza (Republicanos), Arlindo Bandeira (PP), Edson da Rosa (MDB), Gustavo Toigo (PDT), Ricardo Daneluz (PDT), Velocino Uez (PDT), Renato Oliveira (PCdoB), Tatiane Frizzo (SD), Kiko Girardi (PSD) e Paula Ioris (PSDB). 

A favor da abertura do processo votaram Elói Frizzo (PSB), Alberto Meneguzzi (PSB), Edi Carlos (PSB), Rafael Bueno (PDT), Alceu Thomé (PTB), Felipe Gremelmaier (MDB), Gladis Frizzo (MDB) e Paulo Périco (MDB). Agora, o processo vai ser arquivado.

Segundo a denúncia, o Município teria realizado a ampliação do estacionamento do Aeroporto Hugo Cantergiani em 2018. Na exposição de motivos, Jefferson Côrtes declarou a obra foi realizada em um terreno particular. O autor da denúncia afirmou desconhecer documentação suficiente para autorizar a empreitada da prefeitura no local.

Ele revelou que o caso veio à tona com a tramitação de uma ação trabalhista no Ministério Público. O terreno foi alvo de penhora, a fim de que o proprietário quitasse a dívida de um processo. De acordo com o responsável pela denúncia, a partir disso, foi descoberto que a área particular se tornou parte do estacionamento.

Jefferson Côrtes foi exonerado por Daniel Guerra do cargo de subprefeito de Vila Oliva no fim de 2017. Em 2018, ele havia denunciado ao MP o pedido de propina por parte do então coordenador distrital do Município, João Dreher. Na ocasião, ele também delatou a realização de obras irregulares no distrito de Vila Oliva.


Departamento de Jornalismo






Em breve
Nenhum jogo no momento.